BIOGRAFIA DO POETA

BIOGRAFIA DO POETA

Merlânio Maia, poeta desde menino, lida com versos e canções desde a mais tenra idade. Teve sua iniciação, lá na cidade de Itaporanga, no sertão paraibano, onde nasceu e cresceu ouvindo os cantadores, emboladores, declamadores, poetas e cordelistas, quando aportavam nas feiras e na rádio local.
Seu pai, Natércio Maia era um poeta e declamador de toda obra do poeta Zé da Luz e sempre era convidado a se apresentar nas rádios do Sertão da Paraíba e nos terreiros dos sítios levando esta poética fabulosa.
E é nesse contexto que o poeta menino se apaixonou pela cultura popular brasileira.
Ali mesmo sua verve desenvolveu na infância, onde declamava poemas na escola, encomendados para as datas comemorativas pelo padre José Sinfrônio de Assis, diretor e fundador do Ginásio Diocesano aonde estudava.
Na adolescência escrevia poemas e glosava os motes com seus colegas e conhecidos e escrevia os causos da cidade em Cordel.
Em 1978 vai estudar no Colégio Lyceu Paraibano, na Capital João Pessoa/PB. E é nesse contexto que tem contato com o Teatro e se inicia na arte dramática, encontra nos Sebos Culturais as obras literárias dos poetas brasileiros, especialmente os nordestinos. Ali começa a ler Castro Alves, Patativa do Assaré, Pompílio Diniz, Jansen Filho e se integra ao Grupo Folclórico do Lyceu Paraibano, sob a batuta de Dona Dinalva França, Dona Didi.  Com o Grupo, faz apresentações e viaja para outras cidades levando a nossa cultura.
Em 1980 vai trabalhar no Banorte-Banco Nacional do Norte e dedica-se mais fortemente a atuar como ator, no Teatro Santa Rosa com o Grupo de Teatro MUEIC, fundado por Francisco Medeiros, aí começa a pesquisar escrever textos de teatro e poemas, que mais tarde seria sua paixão do dia a dia, a poesia popular nordestina.
Em 1982 passa no vestibular para Bacharelado em Filosofia, pela UFPB e mantém-se atuando e escrevendo peças para grupos de teatro.
Em 1987 se casa com Raquel Maia com quem teve dois filhos e uma filha, que são os seus poemas mais belos.

LIVROS E CDS

 Lançou seu primeiro livro CORDEL ESPÍRITA em 1991,  o livro CANTANDO E CONTANDO HISTÓRIAS e não para mais. Já são doze livros editados de poemas populares e um de ensaios com mais sete autores. Agora já tem mais três livros prontos para edição que sairá em breve.
O poeta já gravou oito CDs de músicas e poesias nordestinas e está gravando mais um de música.

SHOWS E CANTORIAS

Agora está prestes a estrear o Show CORDEL VIVO-O POETA E O VIOLEIRO de música, cordel, poesia e causos que apresenta os poemas e músicas autorais e de poetas nordestinos que ama, a exemplo de Pompílio Diniz, Daudeth Bandeira, Amazan, João Paraibano, Lourival Batista, Chico Pedrosa e outros.
Com o Show CORDEL VIVO segue viajando pelo Brasil e em Abril de 2017, foi à convite fazer oito Shows em Portugal pelo movimento espírita e participou das JORNADAS DE CULTURA ESPÍRITA DE CALDAS DA RAINHA naquele país..
Até hoje, o poeta tem levado esta cultura bela e forte através da verve da declamação e escrita. Tem vários Cordéis lançados, oito livros e está prepara do mais dois livros de poesia e agora em novembro estreará o Show Cordel Vivo onde estará muito em breve viajando e fazendo festa.

BIOGRAFIA EM VERSO

Nasci no Sertão me criei sertanejo
Foi Itaporanga o meu berço querido,
Sou paraibano, meu canto é sentido,
Igual o que sinto, o que ouço, o que vejo,
Nordestinidade é canto que festejo
Deixando a viola me hipnotizar
Seu canto de encanto fez-me apaixonar
De lá até hoje meu verso é um emblema
Levando o Nordeste dentro de um poema
Trazendo o Sertão para a beira do mar!

Repente, embolada, desafio, poesia,
Os cocos de roda, mazurca e baião,
Forró pé de serra com xote e rojão,
Aboio dolente, ou viola vadia,
Cordel declamado de noite e de dia
Foi a educação do meu pré-escolar
O banco da escola foi pra completar
Pois tudo que eu tenho a poesia me deu
De verso em cascata o meu peito se encheu
Cantando galope na beira do mar!


CRONOLOGIA BIOGRÁFICA DO POETA MERLÂNIO MAIA


2017

- Em 09 de novembro estreia o Show CORDEL VIVO - O POETA E O VIOLEIRO na UAINS CULTURAL ENERGISA com o músico Cristiano Oliveira;

- Lança o livro PAZEANDO E OUTROS POEMAS DE PAZ em João Pessoa.

- Faz vários Shows no Teatro Paulo Pontes de João Pessoa;

- Participa de Show no Teatro Santa Isabel, com Nadia Maia e Ricardo Andrade;

- Faz Show na Comunhão Espírita de Brasília e na FEDF Federação Espírita do Distrito Federal;

- Faz Show em Franca no FECEF Festival da Canção de Franca

2016

- Lança o Livro CORDEL ESPÍRITA em formato de bolso.

2015 

- Lança o CD "POETAS DO MEU APREÇO", disseminando poemas de poetas paraibanos como Daudeth Bandeira, Zé da Luz, Amazan, Pompílio Diniz e Chico Pedrosa. E a crônica em poesia destes poetas é declamado por Merlânio Maia.

2014

- Idealiza e Produz o Projeto Forró da CAIXA em parceria com a APCEF/PB em cuja sede todas as últimas Sextas-feiras de cada mês se faz um grande Show de Poesia e Forró com artistas da terra e artistas de renome. O Projeto Forró da CAIXA está no seu segundo ano mantendo viva a Identidade Cultural Nordestina. Projeto que segue até 2016.

- Lança o CD "POEMAS DE AMOR E RISO", em que o poeta declama seus poemas de Cordel que contam histórias engraçadas.

2013 

- Lançamento do Livro "CARIDADE E OUTROS POEMAS", livro de poemas voltados a doação universal fraterna, onde a caridade está em todos os poemas de forma velada ou como mote. Um doce livro de amor ao semelhante;

2012 

- Cria com alguns músicos amigos a Banda Cavalo Crioulo para produzir e cantar músicas autorais e de grandes artistas nordestinos como Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro, Dominguinhos, Antonio Barros e Cecéu, Maciel Melo, Petrúcio Amorim, Gordurinha entre outros e passa a fazer Shows pelo Nordeste com a Banda.

- Lançamento do Livro "POIESIS DE UM CANTADOR", um livro de cantoria de paz e amor e de crença e engajamento ao semelhante;

- Faz o lançamento deste livro POIESIS na Livraria SARAIVA em Natal/RN.

2011 

- Lançamento do Livro "MENESTREL - O CONTADOR DE HISTÓRIAS", um livro de poemas que contam os causos mais pitorescos, bem humorados, mas todos com tendo a Paz por pano de fundo;

2010 

- Lançamento do Livro "CONTOS CAUSOS E POESIA DE CHICO AMOR XAVIER", onde o poeta usa-se da verve poética para contar os causos mais pitorescos e cheios de lições do amado médium mineiro Francisco Cândido Xavier. Este livro faz parte das homenagens do centenário do grande médium mineiro;

2009 

- Lançamento do CD "CANTORIA DE LUZ" com Festa no auditório da FEPB-Federação Espírita Paraibana;

2006 

- Lançamento da segunda Edição do Livro "CORDEL DE LUZ";

- Organiza e participa da III Grande Caminhada da Paz em João Pessoa com Nando Cordel, Geraldo Azevedo, Marinês e sua Gente, Carlos Pitta, Márcia Porto, Santanna o Cantador, Antonio Barros e Cecéu, etc.


2005 

- Deixa a UNIMED e vai gerenciar a Seguradora CAPEMI, agência Paraíba;

- Organiza e participa da III Grande Caminhada da Paz em João Pessoa com Nando Cordel, Geraldo Azevedo, Marinês e sua Gente, Carlos Pitta, Márcia Porto, Santanna o Cantador, Petrúcio Amorim, etc.

2003 

- Lançamento do Livro "Poesia que Canto e Conto", livro de poemas pela Editora EDICORDEL;

- Organiza e participa da IV Grande Caminhada da Paz em João Pessoa com Nando Cordel, Geraldo Azevedo, Marinês e sua Gente, Carlos Pitta, Márcia Porto, Edson Cordeiro, etc.

2002 

- Participa do Livro "ALTERIDADE A DIFERENÇA QUE SOMA", editado pela ABRADE Associação dos Divulgadores da Doutrina Espírita, com o ensaio Arte e Alteridade. Livro de ensaios sobre Alteridade, onde o poeta escreve sobre ARTE E ALTERIDADE.

- Organiza e participa da III Grande Caminhada da Paz em João Pessoa com Nando Cordel, Geraldo Azevedo, Marinês e sua Gente, Carlos Pitta, Márcia Porto, etc.

2001 

- Lançamento da segunda edição do Livro "Cantando e Contando Histórias", pois a primeira edição havia se esgotado;

- Organiza e participa da II Grande Caminhada da Paz em João Pessoa com Nando Cordel, Geraldo Azevedo, Marinês e sua Gente, Márcia Porto, etc.

2000 

- Lançamento do CD "Cordel de Luz" de poemas declamados;

Cria em João Pessoa e engaja-se à ONG MOVPAZ - Movimento Internacional Pela Paz e Não-violência ao lado de Almir Laureano, Clóvis Nunes, Nando Cordel, Claudio Junior, Francisco Souto, Aderaldo Martins e outros. A partir deste ano a ONG mobiliza toda a cidade nas Grandes Caminhadas Pela Paz, com prticipação de grandes artistas nacionais e aqui, conhece e se aproxima de Geraldo Azevedo, Nando Cordel, Dominguinhos, Márcia Porto, Belchior, Carlos Pitta e tantos outros ligados ao movimento internacional pela Paz. A partir deste ano sua poética destina-se a educação pela Paz e Não-violência ativa. Nascem poemas como PAZEANDO, DESARME-SE, ORAÇÃO À MÃE TERRA, MEU CREDO e outros linkados a este tema;

1999 

- Lançamento da primeira edição do Livro "Cordel de Luz", livro de poema popular;

1998 

- Nasce seu filho Murilo de Assis Maia;

1997 

- Lançamento do CD de poemas declamados do livro "Cantando e contando histórias" com o mesmo título do livro;

1996 - Lançamento do CD "MEU SERTÃO CHEIO DE GRAÇA" com poemas autorais declamados contando toda uma vivência sertaneja através da poesia nordestina, cabocla e matuta;

1995 

Nesse ano, emprega-se na UNIMED, empresa de plano de saúde na capital paraibana, onde permanece por dez anos;

1994 

- Edita o livro  "CANTANDO E CONTANDO HISTÓRIAS", um livro de poemas e cordel e faz o lançamento no Teatro Santa Rosa com um Show dividindo o palco com o Grupo Acorde, grupo esta, que estava se iniciando no meio espírita. Foi tão grande o sucesso do lançamento que as pessoas sentaram-se no chão, outras assistiram ao Show de pé, pois que não havia mais lugar nas poltronas do teatro;

- Cria o "Projeto BONECO DE LATA", cujo objetivo é levar Arte para as crianças e adultos do Hospital Napoleão Laureano, hospital de tratamento de câncer em João Pessoa/PB

1993 

- Produz outras edições do CORDEL ESPÍRITA chegando a doze livretos contendo vários cordéis, cada, todos patrocinado por amigos empresários;

- Lançamento do Livro CANTANDO E CONTANDO HISTÓRIAS, a partir dali produziria poemas de causos de teor espiritualistas e começa a fazer palestras-shows pelo Nordeste inteiro;


1992 

- Nasce sua filha Mayara Raquel de Assis Maia;

1991 

- Deixa o Moinho Cabedelo e se associa com seu irmão na empresa TELETRON, empresa de prestação de serviços as companhias Telefônicas;

- Lança seu primeiro livro CORDEL ESPÍRITA.

1990 

- Nasce Merlânio Filho no mês de março;

- No dia 12 de outubro seu pai, Natércio Maia Barbosa, é vitimado por um infarto no miocárdio, chegando a falecer;

1989 

- Vai trabalhar no MOINHO CABEDELO, onde ocupa o cargo de sub-gerente de vendas;

1988 

- Caso curioso é que o poeta é demitido do BANORTE por pura segregação de crença. O fato de ser espírita afetou a relação com o novo gerente que tinha por crença o protestantismo, e como gestor daquele Banco, não admitia espíritas como funcionários;

1987 

- Casa-se com Raquel Maia com quem tem três filhos: Merlânio Filho, Mayara Raquel e Murilo Maia, todos dedicam a infância e adolescência ao aprendizado de música e tocam diversos instrumentos;

1986 

- Dedica-se ao aprendizado de violão de forma auto-didata;

1985 

- Conhece Maria Raquel de Assis Lima com quem mais tarde vai se casar, assumindo o nome de Raquel Maia. Sob a influência de Raquel transfere-se para a União Espírita e ali conhece a MEBEM  Mocidade espírita Bezerra de Menezes e vai escrever peças e compor músicas para o movimento jovem espírita paraibano.

- Nesta época ingressa-se na CAFELMA-Caravana da Fraternidade Espírita Leopoldo Machado e inicia sua produção poética e dramática. Conhece na CAFELMA o poeta José Brasil que o inspira a dedicar-se a poesia;

1982 

- Torna-se Espírita ao conhecer o Grupo de Jovem da Federação Espírita Paraibana. Artista, dramaturgo e músico, se dedica a fomentar a Arte Espírita. Ali conhece Marco Lima, jovem músico, com quem passa a ter uma grande amizade e parceria musical que vai durar a vida toda. Com Marco compõe sua CIRANDA DA PAZ entre outras músicas;

1980 

- Faz vestibular, mas não é aprovado.

- Começa a trabalhar no BANORTE Banco Nacional do Norte;

- Se engaja ao Grupo de Teatro amador MUEIC no Teatro Santa Rosa em João Pessoa. Ali escreve algumas peças de dramaturgia e atua em vários outros espetáculos;

1979 

- Vai morar na capital do estado da Paraíba e concluir seus estudos do segundo grau no Colégio Lyceu Paraibano. Ali participa do Grupo de Danças Folclóricas, cuja regente era Dona Dinalva, canta no Coral do Lyceu Paraibano e participa do Grupo de Teatro do Colégio;


1976 

- Por não ser oferecido o curso científico, transfere-se para o Colégio Padre Diniz, na sua cidade para fazer o segundo grau ou científico, como era chamado, lá passa a ser instrutor da Banda Marcial tocando Clarim;

1971 

- Vai cursar a quinta série no Ginasio Diocesano Dom João da Mata e, no mesmo ano, entra para a Banda Filarmonica Dom João da Mata, cujos maestros eram Sargento Severino Ferreira e Bebé de Natércio, daquela instituição tocando trompa, mais tarde se inicia no trompete;

1970 

- Desde muito criança sua paixão eram os poemas, escreve seu primeiro poema, um decassílabo com estrofes de quatro versos e com quatro estrofes;

1966 

- Inicia seus estudos do curso fundamental no Grupo Simeão Leal;


1961 

- Merlânio Maia, nasce sem parteira a sós com sua mãe Helena, na cidade de Itaporanga, alto sertão paraibano de uma família pobre e simples. Seu Pai Natércio Maia Barbosa, poeta declamador, brilhante por seus causos vividos e contados. Um homem de fibra, forte, aventureiro, amansador de burro brabo e exímio atirador, respeitado naquelas terras; sua mãe Margarida Helena Barbosa, uma santa em todas as possibilidades, otimista por natureza sempre tinha solução para tudo e contadeira de histórias sem igual, além de cantadeira das cantigas dos tempos dos escravos.

Nenhum comentário: