terça-feira, 10 de outubro de 2017

SOU O GRITO DA PAZ

Merlânio Maia

Eu vivo em nome da Paz
Com cicatrizes das lutas
Cansado das violências
Das intolerâncias brutas
Sou defensor dos direitos
Não aceito os preconceitos
Nem nenhuma intolerância
Contra a mulher, contra a crença
E mesmo contra a descrença,
Contra a velhice ou infância!

Porque segregar o outro
Por ter pele diferente
Por ter o sexo diverso
Ou ser crente ou ser descrente?
Que importa a etnia?
Me importa a sua alegria
E a sua humanidade
Importa sermos irmãos
E poder darmos as mãos
Buscando a felicidade

Por isso digo bem alto
Sim, senhor, eu sou Cristão!
Mas também sou Mulçumano,
Sou seguidor do Alcorão
Sou Evangélico e Budista,
Espírita e Xintoísta,
Católico, Mórmon e Jurema
De Confúcio ao Candomblé
E da Umbanda de fé
Sou poeta e sou poema

Sou negro, branco e amarelo,
Sou índio de nascimento
Sou mulher, sou gay, sou trans,
Sou lésbica de encantamento,
Sou um sem teto da peste
Sou migrante do nordeste
Sou nada e tudo a cantar
Meu ser é bem mais profundo
Que venho de outro mundo
Sou este ET estelar!

Então não venha com ódio
Não traga seu preconceito
Vibro na estação do amor
A Paz é meu melhor jeito
Mente aberta, alma leve,
Nada teme quem não deve
Não me prendo a coisas vãs
Sigo a poesia que canto
Com aqueles que têm encanto


Ando e construo amanhãs!

Nenhum comentário: